Em discurso para prefeitos, deputados e vereadores do Amapá, estado que representa, José Sarney (PMDB-AP), presidente do Senado, afirmou nesta terça-feira (11) que a crise enfrentada pela Casa se deve à sua “luta política” e à intenção de enfraquecer o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Sarney disse que nunca foi acusado de nada e que tem a consciência tranquila.

“Pelo fato de minha luta política ter algum peso na sucessão, desencadeou-se essa crise para enfraquecer o presidente da República. Não posso senão resistir e ser firme, com a certeza de minha consciência e da lisura no trato com as coisas administrativas. A coisa mais grave de que me acusam é de que eu tinha pedido para nomearem o namorado da minha neta”, disse.

“Se não fiz qualquer coisa de errado ao longo de minha vida pública, não esperaria 55 anos para fazer agora. Nunca me meti em qualquer coisa errada”, acrescentou.

Cercado por políticos do Amapá, Sarney ficou à vontade para falar da
crise. Publicamente, o senador tem evitando dar entrevistas para
comentar as representações e denúncias contra ele.

Sarney atribui crise a sua luta política e à vontade de enfraquecer o presidente Lula

Sem mais artigos