José Sarney (PMDB-AP), presidente do Senado, não declarou uma casa de R$ 4 milhões à Justiça Eleitoral. A propriedade foi comprada do banqueiro Joseph Safra em 1997 por meio de um contrato de gaveta e não foi declarada em nenhuma das duas eleições (1998 e 2006) disputadas por ele depois da compra. As informação são do jornal O Estado de S. Paulo.

Com 694 metros quadrados de área construída, o imóvel é utilizado como residência de Sarney em Brasília e fica na Península dos Ministros, área nobre de Brasília.

A assessoria de Sarney informou ao jornal que ocorreu um “erro do técnico que providencia a documentação do presidente Sarney junto aos órgãos competentes”. Afirmou ainda que o imóvel consta das “declarações anuais de Imposto de Renda do presidente, entregues também ao TCU com frequência anual”.

No entanto, de acordo com um documento apresentado na campanha de 2006, Sarney escreveu de próprio punho que a lista de bens declarados à Justiça Eleitoral é a reprodução fiel de sua declaração à Receita.

O valor da casa de Sarney em Brasília destoa dos demais imóveis que o senador declarou ao TRE. O imóvel mais caro listado por ele é um terreno em Santo Amaro, município da região dos Lençóis Maranhenses, no valor de R$ 60 mil.

Sem mais artigos