O alemão Michael Schumacher, sete vezes campeão mundial de Fórmula 1,
que voltará a pilotar pela Ferrari enquanto o brasileiro Felipe Massa
se recupera do acidente, já perdeu três quilos desde que aceitou o
desafio. Depois de três anos inativo, o alemão volta a correr no próximo dia 23,
na disputa do Grande Prêmio da Europa, na cidade espanhola de Valência.

“Estou na metade da preparação para a primeira corrida e já perdi
três quilos, embora para mim também seja importante ganhar massa
muscular. Só tenho que admitir que o pescoço me aperta um pouco”,
explicou Schumacher em seu site. “Aceitei o desafio e, como todo mundo sabe, gosto de desafios”, acrescentou.

Schumacher também agradeceu o apoio que tem recebido desde o anúncio de
que substituiria Massa, acidentado no treino de classificação do
Grande Prêmio da Hungria. “Gostaria de agradecer a todos os fãs, que mantêm os dedos
cruzados para que tudo saia bem. É incrível o apoio que recebi de todo
mundo nos últimos dias”, apontou. “É como se um jato de energia estivesse vindo na minha direção. Obrigado a todos”, completou Schumacher.

“Aula de pilotagem”

Para Bernie Ecclestone, Schumacher não teria decidido voltar a menos que soubesse que seria competitivo. “Michael é um cara competitivo”, disse Ecclestone. “Acho que ele vai dar uma aula a um ou dois pilotos”, disse o empresário-chefe da F-1.

O campeão mundial da McLaren Lewis Hamilton e o concorrente ao título da Red Bull Sebastien Vettel correrão pela primeira vez contra o piloto alemão que dominou a F-1 por uma década.

As preparações de Schumacher para voltar às pistas foram prejudicadas na segunda-feira pelas equipes Red Bull e Williams, que rejeitaram um pedido da Ferrari para que o alemão pudesse testar o carro F60 de Massa antes da corrida em Valência.

Leia também:

Volta de Schumacher às corridas de F-1 faz venda de ingressos do GP da Europa disparar na Espanha

Schumacher deve receber um milhão de euros por Grande Prêmio

Sem mais artigos