Uma série de novas metodologias para a realização de testes de HIV foi publicada nesta sexta-feira (16). Segundo o Diário Oficial da União, o Ministério da Saúde autorizou a realização de testes com sangue seco, utilizando a coleta em papel-filtro. Com esta medida, as formas de realização do exame serão ampliadas e o diagnótisco mais rápido, já que o material pode até ser enviado pelo correio.


 


Em nota oficial, o Ministério da Saúde explica que as amostras de sangue seco não são consideradas biologicamente infecciosas, o que facilita o manuseio e o transporte até o laboratório. Além disso, por aguentar ficar armazenada até 12 semanas sem refrigeração, a nova metodologia não requer transportes especializados e baixará o custo dos testes.


 


As novidades já começam a valer nesta sexta para as redes pública e privada de todo o país. Entre as novas regras está a utilização da biologia molecular para o diagnóstico do vírus. O ministério defende que essa tecnologia será importante para casos de resultados indeterminados, em especial, nas gestantes.

Sem mais artigos