A Primeira-Secretaria do Senado identificou o ex-diretor de Recursos Humanos Ralph Siqueira como o responsável pela publicação dos 468 novos atos secretos que constam em 50 boletins administrativos na rede interna da Casa. A investigação foi comandada pelo senador Heráclito Fortes e divulgada na noite da quinta-feira (13).

Segundo a Folha de S. Paulo, o chefe de publicação do Senado, Franklin Landim, teria sido uma testemunha essencial para a identificação de Ralph Siqueira como responsável pela publicação tardia dos atos. Landim já havia apontado os ex-diretores Agaciel Maia (Direção Geral) e João Carlos Zoghbi (Recursos Humanos) como os responsáveis pelo esquema de atos secretos na Casa.

A maioria dos novos atos trata de aumento de salários com pagamento retroativo para servidores. Os documentos, assinados entre 1998 e 1999, passaram a ser tratados como “ultrassecretos” porque ficaram de fora da lista da atos que consta no relatório final da comissão de sindicância apresentado no dia 24 de junho deste ano.

Sem mais artigos