Derrotado por George W. Bush nas eleições presidenciais americanas de 2004, o senador democrata John Kerry apelou para o perigo de novas guerras caso os Estados Unidos não tomem medidas urgentes para combater o aquecimento global.

Segundo o senador, o perigo de secas globais e a disputa por fontes de água poderá ser um grave motivo de futuros conflitos e um enorme risco para a segurança nacional, isso sem contar o aumento de tempestades e a elevação do nível dos oceanos.

Kerry, presidente da Comissão para Relações Internacionais do Senado, tem levantado a questão em suas palestras para forçar a aprovação de uma lei sobre o clima que tramita no legislativo daquele país. Embora ambientalistas achem que a lei ainda é modesta, o texto dá um importante passo no combate às mudanças climáticas.

Um dos pontos da lei, cuja expectativa é que seja aprovada até o final do ano, exige que geradoras de energia elétrica atendam a 20% da demanda por meio de fontes renováveis até 2020. Outros ponto é a definição de investimentos na área, que dee chegar a US$ 90 bilhões até 2025.

A partir de 2012, a lei estabelece, também, um limite anual de emissão de carbono e outros gases causadores do efeito estufa para os setores que são grandes poluidores, como usinas termelétricas e refinarias de petróleo, além de sistema de comércio de permissões para emitir carbono que as empresas poderão negociar no mercado.

Sem mais artigos