A servidora Sânzia Maia, mulher do ex-diretor-geral do Senado Agaciel Maia, foi requisitada para trabalhar no gabinete do senador tucano Papaléo Paes (AP). o senador confirmou nesta quinta-feira (3) a contratação e negou que tenha havido qualquer interferência política. O marido de Sânzia corre o risco de ser exonerado do serviço público após denúncias de irregularidades administrativas quando foi diretor do senado.

No entanto, Papaléo negou que tenha recebido pedido do próprio Agaciel ou do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), que chegou a ser denunciado pelo PSDB ao Conselho de Ética por ter indicado e defendido a permanência do ex-diretor no cargo nos últimos 14 anos.

O tucano, que é aliado regional de Sarney, afirmou à Folha de S. Paulo que a contratação foi um “gesto de humanidade”. Papaléo disse que não há fato algum que “desabone” o trabalho de Sânzia, que é concursada da Casa e, portanto, não teme nenhum desgaste.

“Não tem politicagem alguma nessa história. Não recebi nenhum pedido. É um gesto de humanidade. Eu estava passando pelo corredor outro dia e um funcionário comentou comigo que ela [Sânzia] estava procurando um lugar em um dos gabinetes. Mandei me procurar. Eu me imagino no lugar dela. Penso que, se fosse minha família, alguém faria o mesmo. Não é justo que por um erro meu, minha esposa, meus filhos não consigam mais uma boa colocação”, disse.

A nomeação ainda não saiu no Boletim Administrativo de Pessoal, mas o tucano já espera a nova funcionária em seu gabinete na próxima semana.

Sem mais artigos