Uma semana após o Conselho de Ética do Senado enterrar 11 representações contra o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) foi à tribuna para pedir aos colegas que dêem um “cartão vermelho” ao peemedebista.

“As grandes questões nacionais não estão sendo discutidas”, afirmou Suplicy. “Ainda não conseguimos votar uma proposição importante neste segundo semestre no plenário do senado”, constatou. “E isso [votação] não vai acontecer enquanto não for resolvida a questão relativa ao presidente José Sarney”.

“Tendo avisado ao presidente Sarney que ia discursar, venho a esta tribuna reiterar que não vejo como o senador Sarney possa continuar na presidência enquanto não explicar satisfatoriamente todos os fatos contidos nas representações perante o Conselho de Ética”, continuou o senador.

“O arquivamento [das ações contra Sarney] no Conselho de Ética não resolveu. Para voltarmos à normalidade, o melhor caminho é que sua excelência renuncie ao cargo do Senado”, disse Suplicy.

Para mostrar sua insatisfação, o senador usou “a linguagem do esporte mais popular do Brasil”. “O que faz o juiz nos campos de futebol para que todos entendam?”, questiona Suplicy e ergue um cartão vermelho.

Após Suplicy estender o cartão ao presidente da Casa, o senador Heráclito Fortes (DEM-PI) disse: “Vossa Excelência deveria guardar este cartão para apontar para o presidente Lula, que é responsável por essa crise toda”.

Sem mais artigos