A  Corte Suprema de Justiça do Peru confirmou, por unanimidade, a condenação de 25 anos de prisão imposta ao ex-presidente do país Alberto Fujimori, segundo agências internacionais e jornais peruanos.


 


O julgamento durou 15 meses. Pela primeira vez, um líder latino-americano eleito democraticamente foi condenado no seu próprio país por abuso de direitos humanos.


 


O ex-presidente é acusado de ser autor direto de vários crimes, como homicídio qualificado e lesões graves, e morte de 25 pessoas.


 


Fujimori terá de pagar ainda por danos materiais e indenizações a familiares de pessoas mortas. No momento, ele cumpre pena por três outras sentenças.


 


Em abril de 2009, Fujimori foi condenado por ordenar as forças de segurança do país a matar e sequestrar pessoas durante o conflito contra grupos guerrilheiros, pertencentes ao Sendero Luminoso – grupo paramilitar criado na década de 1960.


 


O ex-presidente comandou o Peru 1990 e 2000, quando foi viver no Japão – país de origem de seus pais. Em 2007, voltou ao Peru onde enfrentou diversos processos e cumpre pena. Depois, em julho, Fujimori foi denunciado e condenado a sete anos e meio de prisão por abuso de poder.


 


Em setembro, foi condenado por ordenar grampos ilegais e por subornar jornalistas, empresários e políticos da oposição.


 


No último julgamento de 2009, Fujimori foi condenado ainda a pagar por danos materiais e indenização em favor aos familiares de várias das vítimas mortas.



 

Sem mais artigos