Apesar da recuperação da economia, alguns indicadores ainda se mostram bem abaixo dos níveis do ano passado. É o caso dos investimentos no país, que tiveram uma queda no segundo trimestre de 17%, na comparação com o mesmo período do ano passado. Esse foi o pior desempenho desde o início da série histórica, que teve início em 1996.

Levando em consideração o primeiro trimestre deste ano, o resultado é uma estabilidade. Ao todo, foram realizados investimentos de R$ 118,8 bilhões. Levando em conta o semestre, o investimento no país teve uma queda de 15,6% em relação ao período de janeiro a junho de 2008, também o pior desempenho desde 1996.

A gerente de Contas Nacionais do IBGE, Rebeca Palis, atribui o resultado ruim à queda da produção interna de máquinas e equipamentos, que tem peso em torno de 50% dentro da FBCF (Formação Bruta de Capital Fixo).

“Também tivemos a diminuição na importação de máquinas e equipamentos. A construção civil também teve desempenho negativo, e uma parte da agropecuária não foi bem. Dentro dos componentes do investimento, não houve nada positivo”, disse Palis.

No segundo trimestre, a taxa de investimento significou 15,7% do PIB, a menor para um segundo trimestre desde 2003 (14,8%). No mesmo período em 2008, a taxa correspondeu a 18,5%. No acumulado do semestre, o investimento representou 16,1% do PIB, menor taxa desde o primeiro semestre de 2005.

Sem mais artigos