Music For Men, que o Gossip liberou para audição em streaming no dia 15 de junho, pode não parecer, mas já é o quarto álbum do trio americano comandado pela carismática vocalista Beth Ditto.

O novo trabalho do Gossip tem um objetivo bem claro: deixar para trás o rótulo de banda de uma música só, conseguido após o sucesso arrasador do hit Standing in The Way of Control. Por mais que a sonoridade do Gossip já estivesse definida desde Movement, de 2003, Music For Men é o primeiro trabalho do grupo no mainstream e carrega a enorme responsabilidade de não só de consolidar de vez a carreira da banda como mostrar que a sonoridade do Gossip consegue vender.

A principal característica de Music For Men – primeiro álbum do Gossip por uma grande gravadora, a Columbia Records – é a consistência, já que, ao contrário de Standing In The Way Of Control, de 2006, o novo trabalho do Gossip não é estruturado apenas em torno dos hits.

Parte desse sucesso é responsabilidade de Rick Rubin, produtor do álbum que já trabalhou com artistas como Beastie Boys, Red Hot Chilli Peppers e Johnny Cash. O som do CD não só é mais acabado do que os trabalhos anteriores do Gossip como traz uma lista de referências ótimas, que formam um som diversificado e dançante.

As qualidades do álbum são muitas – na faixa de abertura, Dimestore Diamond, é possível distinguir a superioridade de Beth Ditto como vocalista. Se ainda pairava a suspeita de que ela era muito mais atitude do que talento, só a garra e a capacidade vocal da cantora nesta primeira faixa já são suficientes para acabar com a questão.

Mas não é só a vocalista quem brilha do álbum. A produção de Rick Rubin ajudou a evidenciar o bom trabalho da guitarra de Brace Paine e da bateria de Hanna Blillie, o que deu ao som do Gossip, finalmente, um tom completamente profissional e longe das demos mais barulhentas do começo da carreira.

Outra característica que garante que o álbum vá além da primeira audição são as influências utilizadas pela banda no disco. Tem de tudo: referências claras a Au Pairs, banda pós-punk dos anos 70, synthpop, rock, dance, pop chiclete… Até um trecho de uma música de Marvin Gaye aparece na faixa Long Love Distance.

Mesmo tendo tantas qualidades, Music For Men tem um ponto fraco que permeia a carreira do Gossip: as letras. A sonoridade criada pela banda é complexa e densa demais para ser acompanhada por histórias que não vão além de trocadilhos espirituosos. Beth é uma mulher que tem muito a dizer e é conhecida por sua língua afiada, mas falta exatamento esse tempero nas palavras cantadas pela vocalista. 

Se o Gossip vai se firmar como uma das potências do mainstream, é uma questão que fica em aberto. Mas, com certeza, Music For Men cumpre a promessa de trazer um grupo mais maduro para a cena musical.

Veja abaixo o vídeo de Heavy Cross, primeiro single de Music For Men

Sem mais artigos