Mãe Dinah deve desconsiderar qualquer plano de visitar a Arábia Saudita. No reino petrolífero, eles não gostam de adivinhos ou pessoas que dizem que têm poderes psíquicos. Para eles, são todos bruxos que devem ter sua cabeça cortada.

Que o diga o pobre Ali Sibat, um libanês de 49 anos, pai de cinco filhos. Por ter aparecido na TV saudita oferecendo orientação psíquica e previsões do futuro, ele foi preso pela polícia religiosa. Prometeram-lhe então que, se escrevesse o que fazia para se sustentar, seria libertado na sequência. Era mentira, claro. Sua confissão por escrito foi usada como prova de seu “crime”. Como condenação, ele será decapitado.

Sibat não é um caso isolado. São inúmeros casos de pessoas presas todo ano na Arábia Saudita por praticar magia, bruxaria, magia negra e prever o destino.

Agora por que Sibat não conseguiu prever a própria prisão permanece um mistério.

Vidente terá cabeça cortada na Arábia Saudita

Sem mais artigos