As três maiores redes de varejo do país, Pão de Açúcar, Carrefour e Wal-Mart, anunciaram que vão suspender a compra de carne de gado criado em áreas desmatadas irregularmente. A medida é um golaço para o movmiento ambientalista, que há anos vem denunciando o problema do desmatamento feito para criar área de pasto.

As redes vão seguir a recomendação de promotores do Pará e do Greenpeace, que acusarram 11 frigoríficos, incluindo Bertin e Minerva, entre os maiores do Brasil, de comercializar carne bovina vinda de áreas devastadas na Amazônia.

As empresas passarão a exigir guias de trânsito animal junto com as notas fiscais dos frigoríficos. “Como medida adicional, as três redes solicitarão, ainda, um plano de auditoria independente e de reconhecimento internacional que assegure que os produtos que comercializam não são procedentes de áreas de devastação da Amazônia”, afirmaram em comunicado, assinado em conjunto com a Abras (Associação Brasileira de Supermercados).

O Ministério Público do Pará pretende ainda notificar empresas processadoras de alimentos, como Sadia e Perdigão, e fabricantes de sapatos, como a Vulcabras.

Sem mais artigos