O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, disse no sábado que na próxima quinta-feira (5), quando deve ser formado um Governo de Unidade segundo o acordo alcançado com o regime de fato, o Congresso já terá que ter decidido sobre sua restituição, embora tal pacto não estabelece data para isto.

“Para a quinta-feira o Governo de Unidade deverá estar organizado e instalado, para esse dia tem que ter sido resolvido o ponto 5”, referente à resolução do Legislativo sobre sua restituição, disse em um discurso por rádio.

Além disso, em uma confusa mensagem transmitida pela “Rádio Globo”, Zelaya insinuou que não aceitaria uma resolução do Parlamento contra sua restituição e daria por rompido o diálogo se isto acontecesse, apesar desse órgão não ter assinado o pacto e não ter se comprometido a nada.

O presidente deposto reconheceu que o Acordo de Tegucigalpa-San José “só obriga as partes”, e que o Congresso Nacional, que o destituiu em 28 de junho, “pode resolver manter o golpe de Estado”, votando contra seu retorno ao poder.

No entanto, acrescentou, “o Congresso Nacional, se na sessão que vai realizar reafirmar que o que fez está bem feito, e que o golpe de Estado está bem feito, então não fizemos absolutamente nada mais que burlar a comunidade internacional e burlar o povo hondurenho com este acordo”.

“Espero que o Congresso Nacional tenha a sabedoria de emendar o golpe de Estado a fim de encontrar a reconciliação do povo hondurenho”, concluiu.

Sem mais artigos