Durante o tradicional café do final de ano com jornalistas, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que “não sabe” se uma chapa pura do PSDB, composta pelos governadores de São Paulo, José Serra, e de Minas Gerais, Aécio Neves, vai compor um adversário mais difícil para a candidata do PT.

“Não sei. Tem que ver. Às vezes dois Coutinhos ou dois Tostões não funcionam tão bem como a gente imagina. Às vezes precisa de outro elemento para dar certo”, argumentou.

Na avaliação do presidente, o governador mineiro desistiu de concorrer por ‘questões internas’ dos tucanos. Lula acredita que Aécio provavelmente “sentiu que Serra tinha mais espaço dentro do partido”. Sobre a candidatura de Dilma, Lula deixou bem claro, que não quer interferir na escolha de um candidato à vice para a ministra.

“Eu não quero nem estar junto quando discutirem isso. Quem tem que dar os passos daqui para frente é a Dilma mesmo. Tem que conversar com o PMDB e com os outros partidos da base aliada porque queremos todo o apoio que a Dilma puder ter”.

Há duas semanas, Lula chegou a dizer que pediria ao PMDB para apresentar uma lista tríplice com indicações para compor a chapa com Dilma.

O presidente aproveitou o evento e enfatizou que dependendo das condições da economia para o próximo ano, o governo poderá tornar permanente as desonerações fiscais praticadas para estimular a atividade econômica. Lula disse que não quis fazer previsões econômicas para 2010, mas disse que a economia estará “muito bem”.

Lula questiona desempenho de chapa pura do PSDB

Sem mais artigos