Pouco mais de um ano após a maior tragédia provocada pela chuva na região, registrada a partir de 22 de novembro de 2008, Santa Catarina foi vítima das águas novamente, durante o mês de janeiro.

Com as chuvas de 2010, o governo decretou situação de emergência nos municípios de Angelina, Águas Mornas, Rancho Queimado e Alfredo Wagner, que tiveram prejuízos na agricultura e nos sistemas viário, elétrico e no abastecimento de água.

Em novembro de 2009, o governo de Santa Catarina veiculou, através de um relatório, a liberação de R$ 150 mil para sanar danos, totalizados em 135 mortes (em 97% dos casos, por deslizamento) e 2 milhões de catarinenses atingidos.

No mesmo relatório do governo, há informações de que 78 mil pessoas ficaram desalojadas e desabrigadas entre os 63 municípios catarinenses que decretaram Situação de Emergência e os 14 que decretaram Estado de Calamidade Pública.


 


Estaca Zero

Segundo Paulo Drum, coordenador da Defesa Civil de Ilhota, onde fica o Morro do Baú, uma das cidades mais afetadas pelas enchentes de 2008, o trabalho é pesado:

“A cada nova chuva, volta tudo à estaca zero. Ainda há pessoas isoladas por pontes que caíram e crianças que atravessam o rio para ir à escola. Mas a população é bastante batalhadora e vai dar a volta por cima.”

Drum está envolvido em dois projetos de recuperação. Um deles é o Nudec, no qual a Defesa Civil capacita pessoas da comunidade para detectar cheias e deslizamentos.

O outro é o Projeto Aquarela, que conta com o apoio de psicólogos e pedagogos para crianças e adolescentes que foram vítimas de enchentes, perderam parentes e etc. “Estamos precisando de R$ 70 mil para realizar os dois projetos em 2010”, disse ele ao Vírgula.

Foi em Morro do Baú que o senhor Daniel Galdino ganhou as manchetes dos noticiários após achar R$ 20 mil num casaco. Galdino perdeu tudo com a enchente e ganhou roupas emprestadas.

Nela, estava o dinheiro, que foi devolvido por ele. “Ele perdeu quatro netos e um irmão”, contou Paulo.

No balanço, a região perdeu 33 pessoas e há uma criança de 11 meses desaparecida.

Há muitas histórias tristes por causa das chuvas, como a de Giovana, que perdeu a mãe, os dois irmãos, o bebê que estava esperando e o braço. “Ela está grávida novamente”, revela Paulo, mostrando que ainda pode haver esperança.


 


Novas casas em maio

Na cidade de Gaspar, que fica à 14 km de Blumenau, 30 famílias estão em abrigos provisórios desde 2008. Elas moram num galpão com divisórias, como se fossem kitinetes, com fogão e banheiro coletivo.

“Arrecadamos um dinheiro de doações de todo o Brasil e compramos um terreno. Em maio devemos estar com as casas prontas”, contou ao Vírgula Mari Inez Testone Theiss, Coordenadora da Defesa Civil de Gaspar, onde houveram alagamentos e deslizamentos que atingiram 21 bairros.


“Nosso município ainda está em fase de reconstrução, pois em setembro e novembro de 2009 também houveram chuvas com danos e em janeiro tem estas tempestades de verão que destróem muita coisa”, explicou Mari Inez.

Reconstrução

O Fundo Estadual de Defesa Civil de Santa Catarina recebeu mais de R$ 36 milhões em doações, que foram distribuídos no atendimento à população para a compra de terrenos, (R$ 18 milhões), e ao Auxílio Reação (R$ 17,7 milhões), benefício que atendeu sete mil desalojados com as chuvas.

Do valor dos terrenos, R$ 1,875 milhão ainda precisa ser repassado, pois aguarda documentação dos municípios.

De maneira emergencial, o Governo do Estado recebeu, por meio da Medida Provisória 448, R$ 360 milhões, dos quais R$ 45 milhões foram destinados à Defesa Civil Estadual.

A quantia foi utilizada em obras emergenciais: contratação de máquinas, compra de material de construção, combustível, peças e serviços mecânicos, transporte de donativos, refeições, recuperação de vias públicas, entre outros serviços correspondentes.

A prestação de contas deste valor foi encaminhado em setembro deste ano ao Ministério de Integração Nacional.

Neste ano, o órgão estadual, em parceria com o Centro de Estudos e Pesquisas sobre Desastres, da Universidade Federal de Santa Catarina, e com a Secretaria de Estado da Educação, lançou dois projetos educativos e distribuiu à rede estadual.

Foram mais de 4 milhões de cartilhas aos alunos, da Série Nossa Segurança, além de kits do Projeto Percepção de Risco – A Descoberta de Um Novo Olhar, o qual contempla alunos da 7ª série com gibis e professores com livros e filmes sobre o assunto.

Ainda em 2009, a Defesa Civil capacitou lideranças comunitárias de Florianópolis e Blumenau, além de promover cursos de capacitação nas 36 Secretarias Regionais do Estado para todos os coordenadores municipais e regionais.

Sem mais artigos