O diretor-executivo do Manchester United, David Gill, disse hoje que a família Glazer não tem intenção de vender o clube, na mira de um grupo de investidores chamado “Red Knights”.

Segundo o dirigente, os Glazer comandam o clube “da forma adequada” e minimizou a importância da dívida de 709 milhões de libras esterlinas (quase 800 milhões de euros) acumulada na gestão de dos proprietários.

O “Red Knights” quer levar uma oferta de 1 bilhão de libras à família americana, que assumiu o Manchester em 2005 e também possui, desde 1995, a franquia do Tampa Bay Buccaneers, equipe profissional de futebol americano.

No mês passado, os Glazer lançaram uma emissão de bônus para arrecadar 500 milhões de libras, em uma tentativa de sanear suas dívidas.

Gill reconheceu hoje que alguns dos empresários que representam o “Red Knights” têm “credibilidade”, mas atacou um de seus membros mais destacados, Keith Harris, diretor-executivo do banco de investimentos Seymour Pierce.

O diretor-geral o acusou, entre outras coisas, de “buscar publicidade”, tentar boicotar jogos do United e “fracassar” em outras tentativas de compra “de clubes importantes”.

O executivo também defendeu o fato de os Glazer não assistirem a muitas das partidas da equipe, tanto em Old Trafford ou longe de Manchester, ao lembrar que “são apaixonados” pelo clube e que “veem todas as partidas” na televisão.

Segundo Gill, parte da dívida acumulada poderá ser coberta com dinheiro da venda de ingressos.


 


Leia mais sobre Copa do Mundo
Concorra a uma viagem para a África do Sul

Sem mais artigos