O presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), o francês Jean Todt, se mostrou hoje favorável ao retorno à Fórmula 1 da regra que desclassifica das corridas os pilotos cuja melhor volta nos treinos oficiais for 107% mais lenta do que a do pole position.

 

O motivo que levou Todt a cogitar a possibilidade foi o desempenho dos últimos colocados dos treinos livres desta sexta-feira para o Grande Prêmio do Barein, que abrirá a temporada 2010 da categoria.

 

O brasileiro Bruno Senna, por exemplo, ficou a 11 segundos do tempo do alemão Nico Rosberg no segundo treino do dia. A regra foi excluída da F-1 em 2002, e para que volte precisaria ser aprovada por unanimidade pelas equipes.

 

Todt, no entanto, ainda quer evitar críticas pesadas às novas escuderias que não tiveram um bom desempenho – como a Hispania, de Bruno Senna.

 

“É preciso respeitar as equipes que chegaram neste período de crise e investiram dinheiro para entrar na Fórmula 1. Não acredito que seja o momento certo para criticá-las, mas sim para dar-lhes apoio”, disse o dirigente

Sem mais artigos