O último dia de José Serra (PSDB) como governador de São Paulo foi marcado por protestos de profissionais da saúde e educação. No dia em que Serra deixa o governo para virar candidato a presidente, centenas de professores da rede estadual se concentraram no Masp por volta das 15h, o que provocou a interdição de faixas da Avenida Paulista, complicando o trânsito.

Professores estão em greve desde o último dia 8, reivindicando 34,3% de ajuste salarial. O clima com o governo piorou na semana passada quando grevistas invadiram a área de proteção em torno do Palácio dos Bandeirantes, sede do governo, provocando a reação da Polícia Militar (PM), o que resultou em diversos professores e policiais feridos.

O Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) acusa o governo do estado de ser omisso com a educação, enquanto o governo classifica o valor da reivindicação com irreal e acusa o movimento grevista de ser eleitoreiro.

Saúde

Por volta de 11h, pelo menos 400 trabalhadores da saúde estiveram em frente à Secretaria da pasta, na Avenida Doutor Enéas Carvalho de Aguiar, no centro. A programação previa que elese se juntariam aos grevistas no Masp no final da tarde. 

Professores em greve protestam contra Serra e param a Paulista

Sem mais artigos
Sair da versão mobile