O Rali Dacar terá a Argentina e o Chile como palco pelo terceiro ano consecutivo, e será disputado entre os dias 1º e 16 de janeiro de 2011, anunciaram hoje em Paris os organizadores do evento.

O presidente da Amaury Sport Organization (ASO), Etienne Lavigne, confirmou a data e o local do que definiu como “um evento muito forte” em termos econômicos para os dois países sul-americanos.

Em entrevista coletiva concedida na sede do diário esportivo francês “L’Equipe”, Lavigne lembrou que o Dacar gerou US$ 76 milhões para os países-sede da competição em 2009.

Ele ainda afirmou que em futuras edições o rali poderá ser disputado também “no Brasil ou na Bolívia”. O diretor do Dacar afirmou que o período de inscrições para a prova de 2011 será aberto no dia 15 de maio deste ano, e que os detalhes sobre o percurso e possíveis mudanças no regulamento serão divulgados mais adiante.

O secretário de Turismo da Argentina, Carlos Enrique Meyer, e o subsecretário de Esportes do Chile, Gabriel Ruíz-Tagle, assinaram, junto com Lavigne o acordo que levará a 33ª edição da prova aos dois países.

Em entrevista à “Agência Efe”, Meyer destacou o fato de seu país “receber pela terceira vez uma prova importantíssima no mundo todo”. “Para os argentinos, depois do futebol, o automobilismo é o evento esportivo que atrai mais público”, explicou, acrescentando que na última edição, no início deste ano, quatro milhões de argentinos acompanharam de perto as etapas.

Além disso, Meyer disse que “o Dacar chegou à América do Sul para ficar”. Ruiz-Tagle, por sua vez, afirmou que “agora é hora de olhar para a frente e deixar a vida continuar”, referindo-se à recuperação de seu país após o terremoto de 24 de fevereiro.

Ao anunciar que a prova seguirá no Cone Sul, Lavigne pôs fim à especulação de que ela voltaria ao continente africano, porém em uma rota diferente da original. No caso, ela passaria por Tunísia, Líbia e Egito.

No entanto, Lavigne ressaltou que com “o atual contexto” é “muito difícil” levar o Dacar de volta à África. A edição de 2008 foi cancelada por motivos de segurança, depois que o Ministério das Relações Exteriores francês recomendou que ela não atravessasse a Mauritânia, por causa do risco de atentados terroristas. A organização decidiu então buscar outro continente, e em 2009 houve o primeiro Dacar em terras argentinas e chilenas.

Sem mais artigos