Normal
0
21

false
false
false

MicrosoftInternetExplorer4

st1:*{behavior:url(#ieooui) }


/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:10.0pt;
font-family:”Times New Roman”;
mso-ansi-language:#0400;
mso-fareast-language:#0400;
mso-bidi-language:#0400;}

Corinthians e Palmeiras se enfrentam neste domingo (31), no estádio do Pacaembu, pela 5ª rodada do Campeonato Paulista. Para muitos, embora exista a velha rivalidade, a partida ainda não significa muito para as pretensões das equipes na competição, contudo, o Derby paulista já foi decisivo no regional por diversas vezes.

Em 1954, no Paulistão que ficou conhecido como campeonato do quarto centenário da cidade de São Paulo, os rivais empataram por 1 a 1 no Pacaembu, mas como o Timão alcançou melhor campanha durante o torneio, sagrou-se campeão.

 


 

Vinte anos depois, em 1974, foi a vez do Verdão dar o troco. A geração que ficou conhecida como ‘Academia’, com craques como Ademir da Guia e Dudu, superou os alvinegros, que contavam com Rivelino, que, logo após o torneio, deixou o Corinthians, muito frustrado com a derrota e com a falta de um título com camisa corintiana.

 


 

Em 1993, o Alviverde, que vivia um período de jejum de títulos, encontrou novamente o arqui-rival em uma decisão de Campeonato Paulista. E, diante de um Morumbi lotado no 2º jogo (o 1º havia sido 1 a 0 para o Timão, gol de Viola, que comemorou como um porquinho), voltou a levantar uma taça de campeão após 16 anos, com show de Evair, Edílson e Zinho, autores dos gols da goleada por 4 a 0.

 



Empolgado com o título da Copa do Brasil, o Corinthians partiu com tudo para cima do Palmeiras na final do Paulistão de 1995. Após um empate por 1 a 1 na primeira partida final, o Timão alcançou a vantagem do empate para o segundo e decisivo jogo, que só foi decidido na prorrogação com um golaço de Elivélton, de fora da área.


 

Na finalíssima de 1999, que ficou marcada pelas embaixadinhas do atacante Edílson (desta vez, defendendo o time do Parque São Jorge), o Corinthians tinha vencido o Palmeiras – com título recém conquistado da Copa Libertadores – por 3 a 0 na primeira partida e, com 2 a 2 no jogo final, o ‘capetinha’ fez graça em campo na frente dos palmeirenses, que iniciaram uma grande confusão no gramado.


Sem mais artigos