O americano Tiger Woods, número um do golfe mundial, planeja voltar ao circuito profissional em duas semanas, num torneio na cidade de Orlando, afirmou a edição de hoje do jornal “New York Post”.

A publicação cita como fonte duas pessoas do mundo do golfe e conta ainda que o retorno de Woods é obra de Ari Fleischer, um ex-assessor de George W. Bush que também foi contratado para ajudar a recuperar a imagem do jogador de beisebol Mark McGwire após um caso de doping.

 

“Eles conversaram esta semana, na casa de Woods, para estudar a estratégia a ser feita dentro de duas semanas”, disse uma das fontes ao jornal.

 

A outra pessoa citada pela publicação afirmou que ficaria “muito surpresa” se Woods não estiver entre os inscritos no Arnold Palmer Invitational, torneio que já ganhou seis vezes.

 

O “New York Post” aponta que foi o próprio Palmer que comentou inicialmente com algumas pessoas próximas que Woods tinha intenção de ir a Bay Hill e explicou ainda que a organização está preparando em segredo um esquema para atender ao forte aumento no número de jornalistas caso o número um realmente esteja lá.

 

Além disso, o também golfista Mark O’Meara, amigo e vizinho de Woods, garantiu ontem ao canal de televisão “Golf Channel” que não se surpreenderia com ele participando até da Tavistock Cup, uma exibição entre profissionais em Orlando nos dias 22 e 23 de março.

 

No final de 2009, Tiger Woods ganhou as manchetes por sua infidelidade, com uma série de casos mesmo casado com a ex-modelo sueca Erin Nordegren.

 

Tudo começou quando ele sofreu um acidente de carro perto da porta de sua casa, atribuído pela imprensa a ataque de ciúmes de sua esposa.

 

Após esse episódio, muitas mulheres reconheceram publicamente haver mantido relações sexuais com o esportista até mesmo quando ele já estava casado. O próprio Woods reconheceu isto e decidiu abandonar temporariamente o esporte.

Sem mais artigos