Menos de um mês após sua inauguração, o maior arranha-céu do mundo, com 828 metros de altura, está fechado para a visitação pública desde o último sábado (6). Inicialmente, a administração da Torre Califa de Dubai justificou o fechamento em virtude de uma manutenção. Mas a história pode ser mais complexa.

Segundo visitantes que estavam no alto do edifício na tarde do sábado, uma pequena explosão foi ouvida e, em seguida, uma fumaça de poeira surgiu através da rachadura da porta do elevador. Durante 45 minutos, cerca de 15 pessoas ficaram presas dentro do elevador até que a equipe de resgate conseguisse abrir as portas.

No deck de observação, no topo do edifício, outras 60 pessoas ficaram isoladas e sem conseguir descer. Segundo relatos divulgadas no site do jornal New York Post, algumas pessoas entraram em pânico.

“Foi um estrondo muito alto”, disse Michael Timms, de 31 anos, americano que vive em Dubai e estava no topo do edifício quando tudo começou.

De acordo com Abu Naseer, porta-voz da Defesa Civil de Dubai, o pedido de ajuda chegou por volta das 18h20 de sábado. As equipes de emergência utilizaram um outro elevador para chegar ao deck de observação.

A Emaar Properties, empresa dona do arranha-céu, pouco comentou sobre o incidente. A companhia emitiu um breve comunicado na segunda-feira (8) dizendo que a plataforma de observação foi temporariamente fechada para uma manutenção por causa da “quantidade inesperada de visitantes”. A Emaar também indicou possíveis problemas elétricos relacionados ao fornecimento de energia, mas não citou qualquer problema relacionado ao elevador.

“Eles estão jogando o problema para debaixo do tapete. Se o elevador quebrou, eles devem dizer às pessoas que o elevador quebrou”, disse Timms.

“Eu já estava ficando chateada e muito nervosa”, relatou Michele Moscato, de 29 anos, enfermeira de Columbia, na Carolina do Sul. “Eu comecei a chorar”, finalizou.

A Torre Califa tem 160 andares e 828 metros de altura. Sua estrutura é visível a 95 km de distância. O edifício dispõe de mais de mil apartamentos, escritórios e um luxuoso hotel. O arranha-céu foi inaugurado em janeiro, mas o início da entrega dos imóveis está marcado para as próximas semanas.

Sem mais artigos