Os uniformes de aeromoças e atendentes da companhia Japan Airlines (JAL) estão em alta no mercado erótico. Considerados itens de luxo e fetiche, as roupas chegam a custar milhares de dólares, uma vez que a recém-falida empresa tem adotado providências para coibir a venda de seus itens.

Uma simples jaqueta, por exemplo, pode custar até US$ 1 mil (quase R$ 1,8 mil) no mercado paralelo de Tóquio, enquanto um conjunto completo chega aos US$ 3 mil (R$ 5,4 mil).

Em janeiro, a JAL decretou falência, fato que aumentou a demanda por esses produtos no mercado erótico japonês. Com os cortes de salários e gratificações, além da demissão de 1,3 mil aeromoças até o final de março, a JAL tem tentado desencorajar as funcionárias que pensam em vender suas roupas. A empresa promete processar por roubo quem se arriscar a não devolver o uniforme.


Com a crise, funcionárias pensam em vender seus uniformes, mas empresa promete fechar o certo (Foto: Getty Images)

“É uma questão de segurança, já que qualquer pessoa usando um uniforme JAL em um aeroporto poderia facilmente acessar áreas restritas. E nós também não queremos pessoas deturpando a empresa ou danificando a nossa imagem”, disse uma porta-voz da JAL, segundo reportagem do jornal The Daily Telegraph.

Cada peça do uniforme é exclusiva e com um número de série costurado na parte interna. Um departamento na empresa é responsável por controlar o paradeiro de cada item. Apesar das medidas, a JAL chegou a comprar suas peças na internet a fim de mantê-las fora do mercado.

Sem mais artigos