Ele foi saudado como a primeira prova de exploração viking para a América e o mais antigo mapa conhecido do Novo Mundo. Além disso, o Mapa de Vinland foi usado por alguns para afirmar que os vikings tinham descoberto a América cinquenta anos antes de Cristóvão Colombo.

Agora, John Paul Floyd, 43, um pesquisador amador escocês, usou pesquisas simples do Google para investigar o mapa e alega ter descoberto nova prova de que se trata de uma fraude.

O Mapa de Vinland foi descoberto em 1957 e saudado como o primeiro mapa que mostra o Novo Mundo (circulado). O mapa representa a exploração da costa leste dos EUA, incluindo Hudson Bay, Labrador e o Golfo de St. Lawrence, no Canadá.

Chegou a ser verificado em 1965 por especialistas da Yale University e do Museu Britânico. No entanto, sua autenticidade foi imediatamente colocada sob suspeita por outros acadêmicos que questionavam onde este documento histórico extremamente importante tinha ficado escondido por tanto tempo. 

Sr. Floyd acredita que o falsificador do Mapa Vinland copiou as formas de um mapa mundi de 1436 atribuído ao cartógrafo veneziano Andrea Bianco. Ele disse que pequenos desvios, semelhantes aos cometidos por Bianco, aparecem no Mapa de Vinland.

A pesquisa do Sr. Floyd sobre a proveniência do Mapa de Vinland têm intrigado os acadêmicos, que dizem que vão investigar mais.

Peter Barber, diretor de materiais cartográficos e topográficos da Biblioteca Britânica, disse ao “Daily Mail”: “A comunidade está levando o mapa muito a sério. Às vezes é preciso alguém de fora para ver o óbvio”.

Apesar da proveniência suspeita do mapa, os arqueólogos definitivamente provam que os vikings se estabeleceram na América por volta do ano 1000 d.C.. Na década de 1960, uma vila nórdica foi escavada em L’Anse aux Meadows, em Newfoundland, no Canadá, pela arqueóloga Anne Stine Ingstad e o marido Helge Ingstad.

Sem mais artigos