Um congressista da Geórgia que atacou a teoria da evolução encontrou-se com um adversário improvável na eleição de terça-feira, dia 6, nos Estados Unidos, quando 4 mil eleitores resolveram votar no pai da evolução, o naturalista britânico Charles Darwin.

Em um discurso no dia 27 de setembro, Paul Broun, médico e membro da Câmara dos Representantes de Ciência, Espaço e Comitê de Tecnologia dos EUA,  chamou a evolução e a Teoria do Big Bang de “mentiras direto do poço do inferno.”

Já que Broun, um republicano, não teve oposição na eleição geral, o professor de biologia Jim Leebens-Mack da Universidade de Geórgia e outros começaram uma campanha pró-Darwin.

Incomodados com a posição do congressista, os acadêmicos se esforçaram para expressar o descontentamento com Paul Broun votando em um candidato fictício. Os votos do condade de Atenas-Clarke não valerão oficialmente já que Darwin nunca foi certificado como um candidato inscrito, mas o professor espera que a campanha incentive alguém a desafiar Broun na próxima eleição. “Eu acho que poderia haver oposição democrata, mas ainda mais provável é ter um republicano racional que compreende questões como o aquecimento global, o raciocínio científico mais geral”, disse Leebens-Mack.

De acordo com a agência de notícias “Reuters”, Broun recebeu 16.980 votos em Atenas-Clarke, local onde está a Universidade da Geórgia. 

Sem mais artigos