Pelo menos 83 hipopótamos morreram contaminados por antraz em um parque temático de Uganda. O episódio é similar a uma tragédia que aconteceu há seis anos.

Tom Okello, gerente de conservação no Parque Nacional Queen Elizabeth, comunicou as últimas mortes na manhã de segunda-feira (16). O local é um dos destinos mais populares para turismo de safari.

Em junho, Okello encontrou 10 cadáveres dos animais em menos de 24 horas. Como as mortes continuaram a aumentar, a equipe do parque utilizou a experiência adquirida em 2004, quando mais de 300 hipopótamos morreram e agora acreditam ter contido a epidemia.

O envenenamento por antraz é decorrente das bactérias Bacillus anthracis que vivem no solo em Queen Elizabeth quando entram em contato com feridas abertas.

Okello disse que a contaminação está controlada e que não alcançou as áreas visitadas por turistas.

Sem mais artigos