Um aposentado ateou fogo em seu próprio corpo ao entrar na sala do Tribunal de Kelaât Sraghna, cidade situada a 80 quilômetros ao norte de Marrakech, informou nesta quinta-feira (26) a agência de notícias MAP.

Segundo a agência, o homem, molhado com gasolina, se dirigiu até uma sala do tribunal e ateou fogo em seu corpo. A mesma fonte afirmou que a vítima, que apresenta queimaduras de terceiro grau, foi transferida até um hospital da região e segue em estado grave.

Um responsável pela Associação Marroquina de Direitos Humanos (AMDH) nesta localidade apontou à Agência Efe que a vítima, identificada como Abderrahim Bukrin, possui 50 anos de idade, vive em um bairro popular de Kelaat Sraghna e possui um processo de divórcio aberto no mesmo tribunal onde foi registrado o incidente.

“Seu estado é crítico e é muito provável que nesta quinta-feira ele seja transferido ao Hospital Ibn Rochd de Casablanca, especializado em pacientes que sofrem queimaduras graves”, acrescentou a fonte da AMDH.

Fontes policiais, citadas pela MAP, assinalam que a vítima tinha problemas pessoais e sociais. A promotoria, por sua vez, abriu uma investigação para esclarecer as circunstâncias deste fato, que causou pânico e correria dentro do tribunal.

Na última terça-feira, um jovem universitário, que exigia um posto de trabalho na administração pública, morreu após se imolar em frente ao Ministério da Educação de Rabat.

Com uma taxa oficial de desemprego de 9,1%, que afeta 31,4% dos habitantes menores de 34 anos, estes atos de protesto são cada vez mais frequentes no Marrocos. Desde o último ano, quatro pessoas morreram após atear fogo no próprio corpo. 

Aposentado ateia fogo ao próprio corpo em tribunal do Marrocos

Sem mais artigos