Apesar de o papa Francisco ter pedido aos seus fiéis destinarem à doação o dinheiro que gastariam com uma possível viagem a Roma, os argentinos esgotaram todas as passagens de avião disponíveis para marcar presença na missa solene que marcará o início de seu pontificado, a qual será realizada na próxima terça-feira (19).

Fontes do setor disseram à “Agência Efe” netsa sexta-feira (15) que as reservas de voos com destino à capital italiana se duplicaram nos últimos dias e que, por consequência, as companhias aéreas já não possuem mais bilhetes a Roma.

O “boom” de vendas de passagens aéreas não comprometeu somente o trajeto Buenos Aires-Roma, já que as reservas feitas a partir de algumas cidades brasileiras, como São Paulo e Florianópolis, também tiveram uma grande procura.

Os elevados preços das passagens – acima dos US$ mil em média – e nem as quase 14 horas de voo que separam as capitais da Argentina e da Itália foram capazes de desanimar os argentinos.

“Desde que o nome do novo papa foi anunciado, a demanda por passagens com destino a Roma aumentou muitíssimo e, por isso, os voos já estão quase todos lotados”, explicou Alfredo Juárez, da agência Tucano Tours, uma das mais importantes do setor.

A “papamanía” que foi iniciada na Argentina após a nomeação de Jorge Bergoglio também deve se estender a Semana Santa. Isso porque, segundo Juárez, houve um aumento significativo nas reservas de voos a Roma também neste período.

Argentina estará representada na missa inaugural do papa Francisco por uma ampla delegação liderada pela presidente, Cristina Kirchner, que viajará no avião oficial, o Tango 01, acompanhada de ministros, altos funcionários, juízes, parlamentares e dirigentes sindicais.

Até o momento, apenas dois senadores anunciaram que não estarão nessa comitiva oficial para destinar as despesas à doação.

Sem mais artigos