Um grupo de arqueólogos encontrou no norte da China restos fósseis de animais que indicam a existência de frangos domesticados há 8 mil anos, 4 mil anos antes dos mais antigos de que se tinha conhecimento, informa neste domingo a agência de notícias oficial “Xinhua”.

Os arqueólogos desenterraram 116 fósseis que também incluem outros animais como cachorros, porcos, tartarugas, peixes e moluscos na jazida neolítica de Cishan, situada na província de Hebei.

Alguns dos ossos encontrados pertencem a frangos domesticados que – segundo Qiao Dengyan, diretor do Instituto Municipal de Restos Culturais e Arqueologia de Handan – são “ligeiramente maiores que os de frangos selvagens, mas menores que os domesticados atuais”.

A maioria dos ossos pertence a machos, o que, segundo Dengyan, indica que já naquela época se costumava comer a carne desses animais, enquanto as galinhas eram mantidas em currais para a produção de ovos.

Até agora, os vestígios mais antigos de frangos domesticados remetiam ao vale do Indo (atual Paquistão), de onde se considera que esta prática se estendeu para o Ocidente.

Sem mais artigos