O dia 21 de dezembro passou batido. O mundo não acabou, o alinhamento dos planetas e a “explosão do sol” prevista pelo profeta da avenida Paulista, Danilo de Matos, não aconteceram. Mas bastou a Rússia ser “atacada” por um meteorito e a notícia da passagem do asteroide 2012DA14 pelas proximidades da Terra nesta sexta-feira (15) para todos se lembrarem do fim do mundo. 

O Virgula Inacreditável entrou em contato com o “Tiozinho do Apocalipse” para saber se esses eventos astronômicos ainda são reflexo da previsão maia e, para surpresa geral, a confirmação: “Sim, tudo está interligado e houve um engano na data. O calendário gregoriano (o que utilizamos) está 6 meses atrasado, em relação ao maia. A data exata para o fim dos tempos é 21 de junho de 2013”, explicou Danilo. 

Conforme a explicação do estudioso, os eventos de hoje foram uma espécie de “prévia” do que está por vir. Segundo ele, além das “bolas de fogo” avistadas no céu da Rússia, outros eventos astronômicos acontecerão, principalmente, a partir de maio.

“Quando todos pensarem que estamos em paz é que o fim virá. No mês de maio as máximas solares se intensificarão e o aquecimento da Terra vai aumentar. Em junho será o fim do mundo como o conhecemos e acontecerá tudo o que acreditávamos que seria no dia 21 de dezembro passado”, explica. 

Danilo explica que, apesar de todo o alarde que ele mesmo fez panfletando pela avenida mais famosa do Brasil, na data prevista pelos maias ele mesmo percebeu que faltava algo – já que todos os sinais que esperava não aconteceram. 

“Me preparei para o fim e estava tranquilo na data, mas senti que faltava algo e já passei a estudar novamente. Entrei em contato com a NASA (Agência Espacial Americana) e a Casa Branca, com quem estou em constante contato, e trocamos mensagens. Chegamos à conclusão de que a data correta é 21 de junho, quando haverá novos eventos astronômicos. Eles (NASA e EUA) já devem estar se preparando para isso”, conta. 

Apesar de ter chegado a uma nova data para o fim do mundo, Danilo diz que não voltará para as ruas, fazendo seu trabalho de divulgação. “Já fiz a minha parte, não tenho mais nada a dizer. Todos os alertas e preparações continuam iguais. Eu apenas estava 6 meses adiantado”, diz.

Segundo ele, outro indício de que realmente estamos próximos do fim é a renúncia do Papa Bento XVI. “O último Papa será um negro. Temos manuscritos que já diziam isso”, adverte. Ou seja, agora é só esperar… novamente! 

Sem mais artigos