Os ataques de ursos ao gado em Tomsk, na Sibéria, multiplicaram-se por sete neste ano e demonstram uma mudança radical na conduta desses mamíferos, afirmou nesta terça-feira o chefe do Departamento de Proteção do Meio Ambiente dessa região russa, Konstantin Osadchi.

Neste ano, na região de Tomsk, foram registrados dez ataques de urso contra o gado, quando em todo o ano de 2010 ocorreram apenas três, disse Osadchi em declarações à agência Interfax.

“Provavelmente, ocorreram mudanças na mente dos ursos: estão curiosos ou perderam o medo o homem”, indicou Osadchi.

No entanto, ressaltou que na região de Tomsk não foram registrados ataques de ursos contra pessoas.

“Não ocorria anteriormente casos de ursos reunidos em manadas para matar o gado. É uma conduta típica de lobos, não de ursos”, detalhou o funcionário.

Acrescentou que o último episódio ocorreu no início de mês no distrito de Molchanovsk, na parte central da região de Tomsk, onde um urso entrou em um estábulo e atacou uma vaca, que ficou ferida.

Estes ataques, segundo Osadchi, normalmente são feitos por ursos jovens, com cerca de três anos.

Os conflitos por comida entre exemplares adultos e jovens podem ser uma das causas da conduta anômala dos animais, apontou o funcionário, que cifrou em cerca de 10 mil a população de ursos na região de Tomsk.

Advertiu que o número destes animais poderia aumentar ainda mais em caso que de incêndios florestais de grande magnitude na região.

Segundo o ecologista, uma das vias para controlar a população dos ursos é a liberalização da caça.

“Atualmente, a permissão de caça custa pouco mais de US$ 100 e mais uma quantia por animal. A caça de ursos é muito cara e, portanto, impopular entre os caçadores”, explicou Osadchi.

Sem mais artigos