Smart Fit não permite bicicletas em seus estacionamentos

Os tempos estão mudando (como diria o tio Bob Dylan), mas ainda não é fácil ser ciclista. Além de não prestar, quem anda de bicicleta em cidades brasileiras ainda tem de brigar para estacioná-las. No fim de novembro, o cicloativista Evandro Mucha publicou um post em sua página no Facebook, o e-Biker, para expressar indignação com a rede de academias Smart Fit, pelo fato de ela não permitir bikes em seus estacionamentos. O protesto, desde então, foi compartilhado 350 vezes.

“Hoje, passei em frente à Smart Fit da Vila Leopoldina [em São Paulo] e vi duas bicicletas presas do lado de fora do portão. Indignado, questionei se a minha bicicleta ficaria do lado de fora, caso eu fosse aluno da academia. A resposta positiva foi inaceitável para um lugar que tem espaço e promove (ou ganha dinheiro) com qualidade de vida e saúde. Para moto ou carro, o estacionamento é gratuito na área interna dos portões”, dizia o texto de Evandro, que vinha acompanhado de quatro imagens mostrando as placas e as bicicletas presas à grade do lado de fora.

O Virgula conversou com Evandro, que disse ter entrado em contato com a administração da unidade por e-mail e por meio da página da rede no Facebook. A empresa respondeu, pela rede social, que verificaria a possibilidade de “instalação futura de um bicicletário ou de convênio com estacionamento”. A restrição acontece em todas as unidades da empresa.

Smart Fit não permite bicicletas em seus estacionamentos

“Eu desisti de me matricular e de ser cliente deles. Se eu fosse com a minha moto para a academia, poderia estacionar gratuitamente, mas de bicicleta não poderia. Eles estão na contramão de todo o mundo. Você vê empresas instalando paraciclos, dando desconto para quem tem bicicleta. O governo tem incentivado o uso e colocado ciclovias para todo o lado. Quando me deparei com uma situação dessas, fiquei indignado”, nos disse Evandro.

Vale lembrar que, em São Paulo, há uma lei municipal, de 10 de junho de 2005, que estabelece a obrigatoriedade de criação de estacionamentos para bicicletas em locais de grande afluxo de público, tais como instalações deportivas. O cumprimento da lei, porém, não é propriamente fiscalizado.

Questionada pela reportagem, a Smart Fit, por meio de sua assessoria de imprensa, respondeu o seguinte: “Hoje, a rede Smart Fit não oferece bicicletários em suas unidades por questões de segurança e estrutura. A rede realiza uma série de estudos para disponibilizar novos serviços aos seus alunos, sem acarretar impacto no valor da mensalidade”.

Bicicletas curiosas

<strong>Bicicleta de papelão - </strong>Uma bicicleta feita de papelão e outros materiais reciclados. Dá para ser mais ecologicamente correto que isso? A Cardboard Bike foi desenvolvida pelo estúdio Cardboard Technologies para ser tão resistente e durável quanto bicicletas feitas com fibra de carbono, apesar do baixo custo de seus materiais. O preço da belezura, hoje, é de US$ 290, o equivalente a R$ 740.
<strong>Bicicleta filtro de ar - </strong>Idealizada pelo estúdio de design Lightfog, a bicicleta conceitual é uma ótima ideia para nossas metrópoles tropicais acinzentadas. Ela funciona tanto como um filtro, retirando partículas de poeira no ar, quanto como um gerador de oxigênio, graças a um
<strong>Para recarregar o laptop - </strong>Isso é do tipo de coisa que você encontraria em um dos filmes de De Volta para o Futuro. A bicicleta conceitual Electric Bike, desenhada por Yuki Fujimura, não só armazena energia para dar uma força extra para suas pedaladas como também recarrega aparelhos eletrônicos, como laptops e smartphones, em um compartimento especial. Se design futurista, porém, é definitivamente isca de ladrão em metrópoles brasileiras.
<strong>Bicicleta superdobrável - </strong>A bicicleta do estúdio eyetohand ainda é um projeto conceitual, mas deve virar realidade em um futuro não muito distante. A magrela pode ser dobrada até ficar do tamanho das rodas e é transportada como um carrinho de feira. Na verdade, a eyetohand é bem parecida com uma bike comum, em termos de estrutura. É mais uma
<strong>Bicicleta portátil - </strong>Ainda na vibe das bicicletas dobráveis, a A-Bike (dá para entender o porquê do nome, né?) se vende como
<strong>Bicicleta que cabe em uma bolsa - </strong>Essa estilosa bicicleta conceitual do estúdio Lucid Design é o sonho para quem não tem espaço para estacionar sua magrela. Do tamanho de uma bike normal, ela é composta de 21 partes que, quando desmontadas, ocupam um espaço pouco maior que uma roda.
<strong>Minibicicleta diferentona - </strong>Essa magrela da marca Laurini foi desenvolvida por fisioterapeutas e esportistas com o intuito de oferecer um exercício que envolva o maior número possível de músculos. A diminuta bike, que tem o pedal na altura do eixo central da roda traseira, exige um tanto de habilidade do usuário.
<strong>Bicicleta invisível - </strong>Essa é, mais ou menos, a versão em duas rodas da nave invisível da Mulher-Maravilha. A Clarity Bike, idealizada pelo estúdio alemão Designaffairs, tem uma estrutura transparente feita de polímero, leve e resistente. É feita para suportar terrenos acidentados e condições extremas de temperatura.
<strong>Para pedalar em pé - </strong>A Dreamslide é tipo aqueles aparelhos elípticos de academia: você tem de pedalar em pé. A bike tem um pedal diferentão, maior do que o de bikes convencionais, e simula o movimento do andar humano.
<strong>Bicicleta de madeira - </strong>Se os hobbits de O Senhor dos Anéis tivessem bicicletas, elas provavelmente seriam parecidas com a OKES. A bicicleta é feita com madeira de carvalho maciço francês e, de acordo com o estúdio que a inventou, o Reinier Korstanje Design, é uma
<strong>Bicicleta que vira carrinho de supermercado - </strong>A bicicleta conceito da marca Cannondale é para aqueles que suam frio cada vez que têm de fazer compras no supermercado e deixar a bicicleta estacionada longe da vista, à mercê de gatunos. Quase um Transformer, a Ville vira um carrinho de supermercado em poucos segundos.
<strong>Bicicleta que vira carrinho de bebê - </strong>Uma bicicleta que vira carrinho para carregar a criançada, eis o que é a Tagabike. Talvez seria um tanto arriscado usá-la como transporte em ruas de metrópoles brasileiras, é verdade, mas, para passear com a família no parque, parece uma boa pedida.

Ativistas questionam academia Smart Fit por não permitir bicicletas em estacionamentos

Sem mais artigos