Uma bactéria comum nos insetos pode se transformar na solução para erradicar a transmissão da dengue, doença cuja variante hemorrágica causa milhares de mortes ao ano, segundo destaca uma equipe de cientistas australianos.

A bactéria, cujo nome é Wolbachia, não é própria dos mosquitos Aedes aegypti, principais transmissores da doença, embora esteja presente em 5 milhões de espécies de insetos.

Se o Aedes aegypti for infectado com a bactéria, “a possibilidade de incubar o vírus da dengue dentro do mosquito diminui”, e assim “não seria transmitido às pessoas” explicou Scott O’Neill, chefe da pesquisa publicada nesta quinta-feira na revista Nature.

Os experimentos, que estão na fase inicial, podem ser um grande passo para a erradicação desta epidemia, informou o cientista australiano.

A dengue é uma doença endêmica na maioria dos países tropicais do mundo, entre eles quase a totalidade das nações da América Latina e do Sudeste Asiático, e afeta a cada ano mais de 50 milhões de pessoas.

Para o experimento, os cientistas introduziram duas cepas da bactéria Wolbachia em uma colônia de mosquitos Aedes aegypti criados pelos pesquisadores, que foram alimentados com sangue infectado pela dengue em um laboratório da Universidade James Cook na cidade nordeste de Cairns.

Ao reproduzirem-se, o número de mosquitos infectados com a bactéria Wolbachia aumentou, enquanto o daqueles com vírus da dengue diminuiu. Um casal de mosquitos infectados produz menos ovos que um não infectado, e quando um macho infectado cruza com uma fêmea não infectada esta não produz ovos, observaram os pesquisadores.

A Wolbachia, que se transmite através do mosquito fêmea à sua descendência, elimina micróbios presentes no mosquito, incluindo o vírus da dengue.

Os cientistas liberaram em janeiro cerca de 300 mil mosquitos do laboratório com a cepa bacteriana com o objetivo de reproduzirem-se com outros selvagens.

Passadas cinco semanas da liberação foi comprovado que quase todos os mosquitos Aedes aegypti continham a bactéria Wolbachia. “Espera-se que agora essas regiões tenham uma menor incidência de transmissão do dengue“, ressaltou Scott O’Neill.

O experimento é o 1º que realizam os cientistas para deter o ciclo de transmissão de uma doença transmitida por uma população de insetos aos humanos. Os cientistas esperam realizar experiências similares na Tailândia, Vietnã, Indonésia e Brasil.

Bactéria comum em insetos pode dar fim à dengue

Sem mais artigos