É normal ouvir gente que tem preguiça de ir à academia dizer que tem alergia a exercícios, não é verdade? No entanto, uma mulher do Reino Unido descobriu realmente ser alérgica a atividades físicas! Kasia Beaver, de 33 anos, não pode malhar, pois o aumento da frequência cardíaca pode desencadear reações fatais a ela. Ela sofre de um problema conhecido como angioedema induzida por exercício (EIA na sigla em inglês).

As atividades físicas, acionadas a alguns tipos de alimentos (que Kasia ainda não descobriu quais são) e disfunção da tireoide fazem com que o rosto da mulher fique inchado, os olhos cocem e, dependendo da intensidade pode até mesmo provocar um choque anafilático (quando as vias aéreas se fecham e a pessoa não pode respirar). 

“Quando eu tenho crises, meus olhos incham e começam a coçar. Em cinco minutos eles ficam completamente fechados. É assustador, especialmente se estou sozinha com meus filhos. Um dia eu estava patinando no gelo com meu marido, quando de repente tive um ataque. As pessoas não acreditam quando eu digo que sou alérgica a exercícios. Eles acham que é apenas desculpa de preguiçoso”, conta ao “Daily Mail”. 

Segundo o jornal, Kasia sofreu sua primeira crise aos 20 e pouco anos, antes de ficar grávida de seu primeiro filho, hoje com 12 anos. Como os olhos coçavam, ela achou que estava tento uma reação alérgica a uma sombra que comprar no mercado. Mas a reação demorou três dias para passar, mesmo após a interrupção do uso. 

Infelizmente, ela demorou anos para receber o diagnóstico correto de sua doença. Os médicos tentaram diversos tipos de medicação, mas nada resolvia, apenas funcionavam como um paliativo e as crises foram se tornando mais graves ao longo do tempo. 

“Um dia estava no ônibus com meus filhos e o motorista deu uma brecada brusca. Imediatamente meus olhos incharam. Eu tinha quatro crianças comigo e não sabia o que fazer. As meninas choravam e eu pedi para o mais velho leva-las para a casa da minha irmã. Foi então que eu notei, que sempre que minha frequência cardíaca aumentava eu tinha uma crise. Até minha vida sexual é afetada por isso”, lamenta. 

Para ela, de certo modo, foi um alívio descobrir qual era o motivo de sua alergia. Ainda não foi descoberto se há, realmente, um alimento que ajude a provocar a reação em Kasia, mas os médicos prescreveram um anti-histamínico que já permite que ela faça caminhadas no parque sem ficar toda inchada. 

Sem mais artigos