O homem conhecido como “o britânico mais tatuado do mundo” está chateado porque acaba de mudar de nome mas teve o passaporte recusado pelas autoridades. Mathew Whelan, 34 anos, agora chamado de King of Ink Land King Body Art The Extreme Ink-Ite, ou algo como “Rei da Terra da Tatuagem Rei da Arte Corporal Extrema da Tattoo”, está chateado porque o departamento competente se recusou a colocar o nome no documento.

Body Art, como é conhecido pelos íntimos, disse ser uma violação dos direitos humanos. “Eles querem colocar o meu nome de nascimento no passaporte, mas esse não é o meu nome mais”, lamenta, ao Daily Mirror. O homem já gastou mais de R$ 75 mil para cobrir 90% de sua pele com tatuagens, incluindo o branco de seus olhos.

Ele estava planejando viajar para o exterior para fazer uma modificação corporal, mas, em 15 de janeiro, recebeu uma carta do gabinete do governo que emite o passaporte dizendo que eles estavam recusando-se a emitir o documento por causa de seu nome incomum.

Um porta-voz do escritório disse que não comenta casos individuais, mas adianta que se um requerente muda o nome para uma sequência de palavras ou frases que normalmente não seriam reconhecidos como um nome, este não pode ser considerado para a página de dados pessoais do passaporte.

Sem mais artigos