Uma equipe de pesquisadores da Antartic Heritage Trust encontrou um caderno perdido no continente em 1910. O livreto ficou congelado pelos últimos 100 anos e era o diário de viagem de George Murray Levick, cirurgião, zoologista e fotógrafo da última expedição liderada por Roberto F. Scott.

Scott era um explorador e aventureiro experiente em viagens às regiões árticas e encontrou nesta viagem seu fim, após congelar até a morte depois de alcançar o Polo Sul. 

George Murray, no entanto, sobreviveu à expedição. Ele viveu até 59, mas só alcançou a fama na posteridade. Alguns anos atrás, foi descoberto um livro onde ele descrevia os hábitos sexuais da espécie de penguim Adélie – uns depravados, pelo visto.

O caderno encontrado agora é o último documento que faltava sobre a viagem derradeira de Robert Scott e ajudará a entender o que aconteceu com o explorador na ocasião.

Sem mais artigos