O Conselho Nacional de Televisão do Chile aplicou uma multa histórica de US$ 32 mil à emissora Chilevisión pelos comentários homofóbicos de dois humoristas que se apresentaram em fevereiro no Festival Internacional da Canção de Viña del Mar.

A decisão, divulgada nesta quarta-feira (18), foi adotada por unanimidade pelos 11 membros do órgão que “levaram em conta a dignidade das pessoas”. As brincadeiras foram consideradas grotescas e vulgares.

Representantes da televisão aberta consultados pela Agência Efe disseram que a multa de US$ 32 mil é a mais alta aplicada pelo Conselho. A decisão foi divulgada um dia após o Dia Internacional contra a Homofobia. O “Chilevisión”, um dos canais abertos locais, foi responsável neste ano por organizar o evento, considerado o mais importante da América Latina.

Segundo o jornal La Segunda, a apresentação do chileno Mauricio Flores, um dos humoristas que subiu ao palco da Quinta Vergara, sede do Festival, que há anos interpreta um homossexual, foi o mais criticado pela maioria dos meios de comunicação locais.

Oscar Gangas, o outro comediante que fez brincadeiras homofóbicas, disse ao jornal que a multa já “era esperada em um país tão hipócrita como o Chile”.

Sem mais artigos