A casa onde o ditador nazista Adolf Hitler nasceu na cidade austríaca de Braunau am Inn está perto de se transformar em um centro para a integração de imigrantes, se as negociações entre as autoridades e uma ONG local se concretizarem.

O que foi o ditador mais sangrento do século XX nasceu na casa em Braunau, muito perto da fronteira com a Alemanha, em 1889, e embora sua família tenha passado ali apenas três anos, seu legado teve um enorme peso nesta cidade de 16.000 habitantes.

“Ainda restam muitos detalhes para esclarecer com os potenciais usuários e o Ministério do Interior”, explica em comunicado dirigido à “Agência Efe” o prefeito da cidade, Johannes Waidbacher, que pediu paciência pela “delicadeza” do assunto.

A imprensa austríaca informou hoje que existem negociações entre a organização humanitária Volkshilfe para que a casa se transforme em um centro que favoreça a integração de imigrantes por meio de cursos de idiomas e outras atividades de apoio.

Esta ONG próxima ao partido social-democrata SPÖ considera que dar um uso social a este lugar seria “uma grande sinal” tendo em vista seu passado.

Na atualidade, a casa é propriedade de uma aldeã, embora desde 1972 o Ministério do Interior da Áustria a tenha alugado e a ceda à Prefeitura de Braunau por cerca de 5.000 euros mensais, uma quantidade que o consistório sublinhou que não pode enfrentar a médio prazo.

No passado, se abrigou ali uma biblioteca, um banco, e mais recentemente, uma oficina de formação de uma organização para incapacitados, que a abandonou há um ano para buscar um aluguel mais barato.

Desde então surgiu um debate sobre o que fazer com o imóvel, se estabelecer ali um memorial para lembrar seu passado ou tratar que seja uma casa mais.

A Prefeitura manifestou o temor de que uma organização neonazista pudesse alugá-la de forma encoberta e transformar a cidade em um centro de peregrinação para setores ultradireitistas. 

Sem mais artigos