Cerca de mil muçulmanos se reuniram nesta quarta-feira em Jacarta em uma oração em massa pela figura do líder da Al Qaeda Osama bin Laden e acusaram o presidente americano, Barack Obama, de terrorista.

Os manifestantes se reuniram na sede da Frente de Defensores do Islã, o grupo que convocou o ato e que pretende implantar a sharia (lei islâmica) na Indonésia, e rezaram pelo “mujahedin” (defensor da fé) Bin Laden em uma mesquita próxima.

A Frente distribuiu panfletos entre os participantes com um texto que agradece “os serviços” do líder da Al Qaeda e que coloca sua morte em xeque, visto que os “Estados Unidos ainda não mostraram seu corpo”. Na frente da mesquita, dezenas de cartazes apresentavam Bin Laden como “patriota”, “herói” e “mártir”.

Homens, mulheres e crianças vestidos de branco participaram da liturgia na qual expressaram sua ira contra “o terrorista Obama e a propaganda política dos EUA”. Trata-se da primeira demonstração aberta na Indonésia de simpatia para Bin Laden após sua morte em uma operação militar americana no Paquistão.

Aproximadamente 85% dos 240 milhões de habitantes da Indonésia são muçulmanos, o que transforma o arquipélago asiático no país com mais seguidores do islã em todo o mundo.

 

Cerca de mil muçulmanos rezam por “mártir” Bin Laden na Indo

Cerca de mil muçulmanos rezam por "mártir" Bin Laden na Indonésia

Sem mais artigos