Cama de casal, espaço suficiente para colocar as pernas, privacidade, cadeiras de couro reclinável costuradas à mão por um artesão italiano, TV de 23 polegadas, comida e bebida de um cardápio selecionado por chefes. Parece coisa de hotel, mas estamos falando de um “avião suíte”. Isso mesmo, uma companhia aérea de Singapura oferece esses mimos aos seus passageiros.

 

Nada de pernas dobradas e cotovelos esbarrando no vizinho de cadeira. O fim do aperto nas viagens aéreas longas parece estar próximo, no entanto, só para quem tem cerca de R$ 30 mil (!) disponíveis para pagar a passagem de um voo ida e volta entre Nova York e Singapura, por exemplo. 

O preço do conforto é salgado, mas há quem esteja disposto a desembolsar a quantia para ter sua cabine privada e não precisar dividir um espaço minúsculo com um desconhecido – coisa que mesmo a primeira classe dos aviões comuns não costumam fazer. 

Veja na galeria imagens da luxuosa aeronave. 

Sem mais artigos