Uma comunidade no sudoeste da China de 7mil habitantes, em sua grande maioria pescadores, vive de modo bem inusitado: habitam casas flutuantes no mar.

São chamadas de povo Tanka, também conhecidos como “ciganos do mar”, e são conhecidos desde a dinastia Tang, quando pescadores locais assentaram-se sobre suas embarcações para evitar o caos das guerras continentais.

A “ilha” localizada na cidade de Ningde, no sudoeste da China, é o lar de milhares de famílias. Seus hábitos são datados desde 700 D.C. e, até a fundação da República Popular da China, os ciganos do mar não estavam autorizados a pisar no continente, tendo que viver basicamente à deriva. Tudo, funerais a partos, era realizado nos barcos.

Nos últimos anos, com ajuda do governo local, os pecadores puderam começar a construir casas ao longo da costa, segundo “Dailymail”. Porém consta que muitos deles preferem continuar vivendo nas casas flutuantes, seguindo sua tradição. 

Sem mais artigos