A convocação por parte de um partido de extrema-direita de um concurso de caricaturas sobre o islamismo provocou polêmica na Alemanha, pois o ato poderia causar represálias entre radicais muçulmanos.

O ministro alemão do Interior, Hans-Peter Friedrich, em declarações publicadas neste domingo na revista “Der Spiegel”, considerou irresponsável o concurso convocado pelo partido de extrema-direita Pro-NRW e disse que a violência pode provocar uma onda de violência.

Ralf Jäger, ministro do Interior da Renânia do Norte-Vestfália, estado onde o partido de extrema-direita tem alguma representação, criticou hoje a “provocação de uma minúscula formação”. Segundo Jäger, o concurso é uma “piromania ideológica”.

“O que querem é provocar e criar insegurança. Com a agitação anti-islâmica apenas fomentam os preconceitos e a intolerância com o objetivo de captar votos”, disse Jäger.

O Pro-NRW tem como bandeira a crítica ao islã e aos imigrantes muçulmanos. Além disso, o partido luta contra a construção de igrejas na Alemanha.

Em função das eleições legislativas que irão ocorrer em duas semanas na Renânia do Norte-Vestfália, simpatizantes do Pro-NRW expuseram neste sábado em duas cidades várias caricaturas críticas ao islamismo.

Centenas de militantes da extrema-direita participaram das duas ações, enquanto manifestantes antifascistas e antirracistas protestaram contra a polêmica iniciativa.

As autoridades alemãs temem que as provocações gerem uma crise como a que ocorreu na Dinamarca em 2006, quando um jornal publicou uma charge crítica ao islamismo.

Concurso de charges sobre islamismo gera polêmica na Alemanha

Sem mais artigos