Reprodução/Guinness World Records

Aos 41 anos, Olde se tornou a pinguim viva em cativeiro mais velha do mundo e entrou oficialmente para o Guinness World Records, o livro dos recordes.

A ave é um pinguim-gentoo e vive atualmente no Zoológico de Odense, na Dinamarca. A tradução de seu nome é “bisavó”.

De acordo com o Guinness World Records, animais desta espécie costumam viver de 15 a 20 anos na natureza e a estimativa aumenta para 30 quando estão em cativeiro, mas Olde conseguiu superar qualquer expectativa ao seguir firme e forte aos 41 anos.

O recorde de Olde foi consumado no dia 4 de Outubro, quando a organização constatou que ela tinha exatamente 41 anos e 141 dias de vida.

A equipe do zoológico contou que, por ter uma idade avançada, ela precisa ter um tratamento especial. A pinguim recebe a porção de peixes separadamente, por exemplo, para não ter que disputar a comida com os mais novos. E sua plumagem já não é mais impermeável, por isso, não pode nadar.  A ave então recebe banhos regularmente.

Outra curiosidade é que Olde ama comer arenque, algo bem incomum para pinguins-gentoo. “Mas é algo positivo, porque arenques são ricos em gordura, então ela ingere o que precisa, mesmo não tendo o apetite de antes”, explicam Sandie Munck e Mette Heikel, seus tratadores.

A recordista nasceu no Zoológico de Edimburgo, na Escócia, no dia 16 de Maio de 1979. Em seguida se mudou para Montreal, no Canadá, onde ficou por 23 anos até ser transferida para o Zoológico de Odense, seu atual lar. Ao todo, Olde teve 16 filhotes e já é tataravó.

Sem mais artigos