Um homem marroquino com problemas mentais está há 17 anos trancado por sua família e com o pé preso por uma argola na cidade de Ait Ismail, perto de Beni Mellal, no centro do Marrocos.

Segundo informou nesta quarta-feira (06) à “Agência Efe” o presidente da delegação regional do Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH), Alal Basraui, o homem chamado Said Hamún, de 42 anos de idade, está trancado nu em “condições desumanas e de forma ilegal”.

O CNDH – alertado pelos vizinhos de Said – realizou na sexta-feira passada uma visita ao local, e ressaltou a necessidade de uma perícia para estabelecer se o homem sofre de alguma doença mental.

Basraui acrescentou que sua delegação avisou às autoridades locais e à Procuradoria para tomar as medidas necessárias.

O caso foi denunciado hoje por dois jornais locais e, segundo o diário “Al Massae“, que cita o irmão de Said, a família tomou a decisão de acorrentá-lo devido a seu comportamento violento, já que tentou em duas ocasiões matar seus pais.

Por sua vez, o jornal “Al Jabar” indicou que o caid (funcionário local) da região convocou ao pai de Said para pedir-lhe que desse tratamento psiquiátrico a seu filho.

Além disso, o diário “Al Massae” fala de outros dois casos de doentes mentais que também permanecem presos por suas famílias na mesma cidade, e publica imagens de dois deles, com os pés acorrentados a um muro.

Um deles, com mais de 50 anos de idade e primo de outro, está acorrentado por sua família há 24 anos, em uma casa atrás da de seus pais, que segundo eles, querem evitar que se machuque; segundo o diário, soma mais de 12 anos sem a visita de um médico.

O terceiro caso, citado pelo mesmo jornal, é o de Abdeluahed Uali, um jovem de cerca de 30 anos, que foi acorrentado por sua família há dois meses, depois de apresentar comportamento violento, especialmente contra as mulheres da cidade, que fez com que seus vizinhos o considerem “enfeitiçado”. 

Sem mais artigos