Uma mulher que perdeu a memória após o rompimento de um aneurisma cerebral está reaprendendo a amar seus filhos e marido. Sarah Thomson, de Exeter, no Reino Unido, teve um coágulo de sangue no cérebro, que estourou em novembro do ano passado e a fez passar dez dias em coma em um hospital. Ao acordar, ela, que tem 32 anos, estava convencida de que ainda era uma adolescente de 19 e estava em 1998!

 

Segundo informações do “Daily Mail”, o coma eliminou 14 anos da vida da mulher, que não fazia ideia de já ter se casado com Chris, de 34 anos, e ter três filhos: Michael, 14, Daniel, 5, e Amy, 4 anos. 

“Quando as crianças vieram me ver, eu não tinha ideia de quem eles eram. Pensei que fossem filhos de outro alguém. Eu ficava chamando-os pelos nomes errados e não entendia por que ficavam tão contentes em me ver. Até que perguntei se eram meus e fiquei realmente surpresa”, contou Sarah ao jornal. 

Já o marido, Sarah acreditava que fosse algum dos enfermeiros do hospital, pois o homem estava sempre por perto enquanto ela estava internada. “Quando percebi que tinha que ir para casa com ele, eu fiquei realmente confusa. Acreditava que ainda namorava meu ex”, lembra. 

Conforme o relato da moça, o aneurisma se rompeu enquanto ela estava no computador vendo algumas fotos. “Senti um ‘ping’ na parte de trás do meu pescoço e comecei a me sentir estranha, enxergar borrões. Fui para a cama e a última coisa que me lembro é de estar em uma ambulância”, descreve. 

Depois de passar por uma cirurgia de emergência, ficar em coma e acordar, a recuperação foi longa e difícil. Além de não se lembrar da família, Sarah também estranhava ao se olhar no espelho e precisou ser reconquistada pelo marido, que fez questão de leva-la a todos os lugares onde costumavam ir quando se conheceram. 

“Ainda é um pouco estranho, mas tudo vem à tona com o tempo Tem sido incrível e meu marido está ajudando a me recompor. Me sinto como uma adolescente no momento, pinto meu cabelo de várias cores diferentes. Assisto a vídeos e vejo fotos para tentar me lembrar de quem eu costumava ser, mas, às vezes, é como se eu fosse uma pessoa diferente”. Apesar de tudo, Sarah tem esperança de que tudo voltará ao normal e ela diz que procura aceitar o que aconteceu, para tudo ser mais fácil.

Sem mais artigos