Um diamante rosa de quase 60 quilates, avaliado em mais de US$ 60 milhões (em torno de R$ 110 milhões) e batizado como “Pink Star”, será leiloado no próximo dia 13 de novembro na casa Sotheby’s de Genebra.

Trata-se de um diamante rosa intenso (fancy vivid pink), de 59,60 quilates, formato ovalado e livre de impurezas, além de ser “o maior com estas características de cor e pureza” já apresentado até o momento, explicou à “Agência Efe” o presidente da Sotheby’s Suíça, David Bennet.

O “Pink Star” recebeu a maior qualificação em cor e clareza pelo Instituto Gemológico de América (IGA) e, inclusive, se encontra dentro de um subgrupo de 2% de todos os diamantes – conhecido como “Tipo Ila”, que são quimicamente os mais puros e de uma transparência óptica extraordinária.

O diamante em questão é duas vezes maior que o “Graff Pink”, uma pedra rosa (fancy intense) de 24,78 quilates e que estabeleceu o recorde mundial em leilão de joia ao alcançar US$ 46,2 milhões no ano de 2010.

O recorde atual por quilate para um diamante rosa se situa em US$ 2,15 milhões, estabelecido por um diamante rosa (vivid) de cinco quilates.

“Se já é difícil encontrar diamantes rosa de cinco quilates, esta pedra de quase 60 supera qualquer indicador e passa a ser, segundo minha opinião, um dos maiores tesouros da natureza”, completou Bennet.

Este diamante bruto foi descoberto em 1999 por De Beers na África. Na ocasião, a pedra pesava 123,5 quilates, mas, após ser talhada e polida meticulosamente durante dois anos na oficina Steinmetz, acabou sendo transformada nessa espetacular peça que foi revelada à imprensa.

Sem mais artigos