Fidel Castro ofereceu aos Estados Unidos a colaboração de Cuba na luta contra o ebola em um artigo divulgado neste sábado na imprensa local, em que elogiou o “exemplo de solidariedade” das equipes de saúde da ilha enviadas à África para combater a epidemia.

“Cooperaremos com prazer com os americanos nessa tarefa”, escreveu o líder cubano no artigo, intitulado “A hora do dever”.

Fidel ainda disse que a decisão de enviar esses voluntários para “cumprir uma perigosa tarefa é inclusive mais dura que a de enviar soldados para o combate”.

“Todos compreendemos que ao cumprir esta tarefa com o máximo de preparação e eficiência estaremos protegendo nosso povo e os povos irmãos do Caribe e da América Latina, e evitando que (a epidemia) se alastre”, disse o líder da revolução cubana.

Ele lembrou ainda que na próxima segunda-feira será realizada em Havana uma cúpula extraordinária da Aliança Bolivariana dos Povos da América (Alba) para coordenar os esforços contra o ebola “de forma rápida e eficiente” e dar os passos necessários para impedir a expansão da epidemia.

“Caribenhos e latino-americanos estão enviando também uma mensagem de coragem e de luta para os outros povos do mundo. Chegou a hora do dever”, concluiu Fidel Castro.

Sem mais artigos