Um fluxo de borboletas coloridas foram captadas pelo fotógrafo Jeff Cremer e pelo biólogo Phil Torres sobrevoando a cabeça de diversas tartarugas, na tentativa de beber a lágrimas dos olhos dos répteis.

Em viagem para pesquisarem a região amazônica, em Tambopata, no Peru, depararam-se com essa cena. Segundo o “Dailymail”, os dois afirmaram que nunca viram tantas borboletas juntas. “Nós achamos muito curioso. Estávamos acostumados a ver uma, no máximo duas borboletas, em tartarugas. Mas desta vez havia tantas que praticamente sufocavam os répteis”, disse Jeff, de 35 anos.

Segundo informa o mesmo jornal, as tartarugas estava se aquecendo no sol, quando, numa espécie de emboscada colorida, as borboletas surgiram. O suor das tartarugas é semelhante ao suor humano, rico em sais minerais, e os insetos buscavam estes nutrientes.

Segundo Phil, que está cursando o doutorado em ecologia e tem 27 anos de idade, as tartarugas, em virtude de seus comportamento, são um alvo fácil para as borboletas ladras de sal.

“Quanto mais distante de um oceano, menos sal encontra-se disponível no ambiente para a nutrição de alguns animais. O comportamento estranhos de alguns insetos se explicam assim. Abelhas e tartarugas adquiriram este hábito de beber o suor e as lágrimas de tartarugas e jacarés”, explicou Phil.

Aparentemente as tartarugas são receptíveis à sede das borboletas. Parecem não se importar muito e são mesmo pacientes, sobretudo nesta cena que captaram, onde inúmeras borboletas surgiram para matar a sede. Coisa que não ocorre quando as abelhas tentam fazer a mesma coisa: as cascudas ficam inquietas e desviantes (ver o vídeo abaixo).

“Eu imagino que as borboletas sejam mais delicadas. É possível que estes animais estabeleçam uma relação de comensalismo, pois o benefício das borboletas não atrapalham em nada a vida das tartarugas”, disse o jovem biólogo. “Aposto que se qualquer um de nós também deitarmos no chão de olhos abertos e suados, as borboletas e as abelhas viriam para matar sua sede”, finalizou.

Sem mais artigos