O fotógrafo catalão Joan Fontcuberta se considera um ativista. Ele forja imagens fantásticas e inventa histórias mirabolantes com o objetivo de “desafiar autoridades”. Um de seus projetos, intitulado Fauna, reúne fotos de animais inexistentes, que ele diz ter encontrado nos arquivos de um determinado zoologista alemão, Dr. Peter Ameisenhaufen, que, segundo ele, desapareceu no ano de 1955.

Entre os animais incríveis de Fontcuberta estão uma cobra com pernas, elefantes alados e um macaco com pernas de quadrúpede.

Em entrevista ao jornbal britânico The Guardian, ele explicou seu trabalho: “Meu modelo é [o escritor argentino] Jorge Luis Borges. A ideia é desafiar disciplinas que reinvindicam autoridade para representar o real: botânica, topologia e qualquer discurso científico, a mídia e até religião. Eu escolhi a fotografia porque é uma metáfora de poder. Quando eu comecei, no começo dos anos 70, a fotografia era um meio carismático de provar evidências”.

Sem mais artigos